quinta-feira, 28 de abril de 2011

Como chegaram até aqui...


O UNILEVER VÔLEI

Após o vice-campeonato, Bernardinho renovou quase que completamente seu plantel. Perdeu suas atacantes de definição e ralou para substituí-las. O Unilever sofreu apenas duas derrotas na competição. Eu diria inclusive que a primeira, contra o Macaé, diminuiu o ego do time invicto na primeira rodada, abatendo inclusive o todo poderoso Osasco, e já iniciou a segunda com um aviso: vocês ainda não são campeãs! Daí para frente o Unilever seguiu atropelando todo mundo. Quase todo mundo! O embalado Vôlei Futuro aplicou um 3x0 nas cariocas, assim como Macaé fez. Mas se recuperou e não sucumbiu diante ao Sollys pela segunda. O Unilever terminou a fase classificatória líder, teve mesmo a campanha mais regular do início ao fim. Nas quartas de final, nem se assustaram! São Bernardo, oitavo colocado, sequer chegou a atingir as cariocas. O time que mais deu trabalho ao Unilever na fase classificatória, foi de fato o Pinheiros/Mackenzie, o único que arrancou 10 sets do time carioca, ambos com vitória para o Unilever. Não foi assim na semi-final... As cariocas atropelaram com um duplo 3x0 e chegaram à final. UNILEVER: 26 jogos, 24 vitórias, 2 derrotas, 72 sets vencidos, 12 sets perdidos.

O SOLLYS OSASCO

Depois de alguns vice-campeonatos, o Sollys cresceu e finalmente levou o título. E o defenderá no próximo sábado. Renovou com toda a sua equipe titular e teve bons resultados. Inconstante durante a fase classificatória, dependeu mais de grandes atuações de determinadas jogadoras do que de todo o grupo. Perdeu para o Minas no turno e para o Vôlei Futuro no returno. Foi abatido duas vezes pelo seu arqui-rival, Unilever e quer a revanche nessa final. Nas quartas de final, superou o Praia Clube, que ofereceu dificuldades no returno. O Praia tentou crescer, mas as laranjas paulistas viraram o placar no mínimo em 3 sets. Já na semi-final, Osasco que me desculpe, mas cumpriu sua obrigação. Com um Vôlei Futuro completamente desmontado, tinha a OBRIGAÇÃO de vencer. E o fez, sem perder um set! Fato positivo é que o time não se abateu, cresceu, com grandes atuações de Jaqueline por exemplo. E mais uma vez, o rival carioca as esperavam na final. OSASCO: 26 jogos, 22 vitórias, 4 derrotas, 69 sets vencidos, 21 sets perdidos.

Em terra de GIGANTES!


Mais uma vez, UNILEVER VÔLEI / RIO DE JANEIRO e SOLLYS / OSASCO decidem o título da Superliga Feminina de vôlei. O confronto de maior rivalidade das américas, quiçá do vôlei mundial, tem data definida: a decisão de sábado, no Mineirinho em Belo Horizonte.

Apesar de andar afastados por problemas pessoais, o Vôlei FÃminino vai recompensar você leitor. Cobertura da grande final, com fatos, fotos e notícias exclusivas! Como? Estando lá, presente no Mineirinho e torcendo pelo show garantido dessas duas equipes. A partir de AGORA o Vôlei FÃminino entra com você na reta final desse campeonato emocionante e dá detalhes técnicos e pessoais, dessa partida onde TUDO PODE ACONTECER...

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Acompanhem cobertura de acidente no #enJOY

É isso aí pessoal! Peço a compreensão de vocês, não é fácil lidar com dois blogs ao mesmo tempo. O #enJOY 11 é escrito pelo mesmo autor desse blog, mas com objetivos diferentes. O Fã Clube Oficial Dá Nelas Joycinha está realizando uma cobertura COMPLETA por Twitter, Facebook e pelo blog #enJOY. Acompanhem por lá notícias sobre o Vôlei Futuro e a Stacy. O Vôlei FÃminino seguirá com atualizações sobre a Superliga...

Obrigado, Luiz Gustavo.

Força Stacy: é tudo que o blog tem a dizer no momento!

domingo, 10 de abril de 2011

Treino carioca, brilho de SHARILINS

Comemoração de cariocas depois de grande apresentação
do time favorito ao título
O time de Bernardinho passou fácil pelo primeiro confronto da semi-final. A comissão técnica do Unilever é realmente impressionante e soube anular o melhor das adversárias: as ponteiras. Soninha foi "morta" no confronto. Marcou apenas 2 pontos, assim como a reserva Ivna que a substituiu. Ivna é ótim atacante, mas recepção não é seu melhor fundamento. Soninha foi anulada pelo Unilever, assim como Ju Costa. A típica diagonal longa das ponteiras, aquela que morre entre a 5 e a 6, simplesmente não caiu. Quando não chegava o bloqueio, a defesa estava plantada esperando-as. Sem suas ponteiras, foi a hora de Lia chamar a responsabilidade e ser a maior pontuadora do Pinheiros no confronto.  A oposta, que pecou por irregularidade nessa Superliga, marcou 15 pontos de ataque e 3 de bloqueio, fundamento em que a mesma cresceu muito nessa Superliga. Não foi o jogo das centrais! Marina Daloca e Naty Martins não tiveram eficiência como contra o Minas nas quartas. Ressalto mais uma vez a defesa carioca, fundamento em que o time só cresce e vem brilhando. Já Juciely, aos poucos volta a ser uma atacante de meio decisiva, o que não é fácil, substituir Fabiana. Jogando muito, vem crescendo no bloqueio e perseguindo com sua china. Ainda não consigo entender porque Suelen é líbero titular. Michelle é mais veloz, melhor defensora e o passe da primeira não vem sendo tão eficiente quanto Paulo Cocco espera. Já no Rio, Fabí ainda é inquestionável.... Quando o assunto é levantamento, a vez não é de Fabíola. A levantadora ficou mais tempo em quadra do que de fato seu desempenho no jogo permitia. Karine entrou e deu velocidade ao jogo, inutilmente, já que o time carioca fez uma grande apresentação. Não me surpreenderia se Zé Roberto convocasse uma terceira levantadora. E depois do acuamento de Ana Tiemi, Fernardinha do Modena deve ser a mira do técnico brasileiro. Mas se o nível de Fabíola decaiu, a fase de Dani Lins é simplesmente espetacular! A levantadora é disparada a melhor da Superliga, a presença da dupla olímpica fez muito bem a ela. Mari definiu bem: o problema de Dani é psicológico. E Mari voltou jogando MUITA BOLA, o que é ótimo para nossa seleção. Jogou muito, definiu na hora em que o time precisou dela, papel que a oposta Sheilla faz muito bem. 
Mari ultrapassa duplo do Pinheiros
na fase decisiva da Superliga
Sheilla vem cometendo alguns erros expressivos, mas o número de bolas que a oposta recebeu nessa Superliga, é cansativo só de ler. Sorte de Dani Lins e de Bernardinho, que agora tem duas opções de nível no ataque, além de Juciely. Mas o time carioca, também tem suas fraquezas e a principal delas é Regiane. Com todo respeito à ela, Regiane não convence como ponteira. O motivo para ser titular de uma grande equipe é óbvio, a altura, o bloqueio. Não é qualquer time do Brasil que tem uma ponteira de 1,90 parada na rede de 3 esperando as bombas das opostas adversárias. E é por isso mesmo, fato é que Mari joga pela rede de 2. Bernardinho é experiente e só a tira de quadra quando ela prejudica o time. Aí ve Suelle, receptora nata, mas atacante limitada. Bem limitada... Com Mari oculta da recepção, Valeskinha assume o passe. Grande passadora não é, mas pra uma central tá ótimo. Parece que trabalhar na recepção diminuiu o ritmo da jogadora, que pontua pouco. Não está na sua melhor forma...

A conclusão é que o Unilever fez uma grande partida, principalmente de Dani, Sheilla e Mari. O Pinheiros se entregou, não ofereceu a resistência digna de uma semi-final. Mas é time encardido, com volume de jogo e boas atacantes. Tudo pode acontecer ainda...

Pinheiros 0 x 3 Unilever (20x25, 23x25, 11x25)
Maiores Pontuadoras: Sheilla (19) do Unilever e Lia (18) do Pinheiros
Troféu VivaVôlei: Suelle, ponteira do Unilever

terça-feira, 5 de abril de 2011

Atletas se solidarizam com Michael

Central do Vôlei Futuro
foi ofendido pela
torcida do Cruzeiro
Na última sexta-feira, o Sada Cruzeiro recebeu o Vôlei Futuro pela primeira partida da semi-final. Durante o embate, os torcedores do Cruzeiro gritavam ofensas homofóbicas a Michael, cada vez que ele efetuava algum fundamento pelo seu time. A confusão tomou rumo maiores, os fãs do esporte ficaram revoltados e resolveram reivindicar e apoiar Michael. Como atitude, o Vôlei Futuro publicou uma nota oficial sobre o ocorrido, onde disse que Michael processará o grupo cruzeirense. 

Acima da rivalidade entre os times, a humilhação que Michael sofreu, chamou a atenção de todos, inclusive de algumas atletas. Acompanhe abaixo, declarações virtuais das opostas do Vôlei Futuro e do Praia Clube, Joyce GomesDaymi Ramirez, respectivamente.


Oposta apoiou o companheiro da
equipe masculina via Twitter
"Gente gostaria da oportunidade pra falar sobre o q aconteceu com o Michael em Minas. Simplesmente a Torcida desrespeitou nosso companheiro! Preconceito não tá com nada, é crime, pena isso ter acontecido no voleibol onde temos tantas alegrias. Nunca pensei presenciar isso... Lamentável." 

Joyce Gomes, por Twitter.


Oposta cubana, se aliou à
"batalha" em apoio a Michael
"Me junto à luta conta a homofobia e apoio ao Michael. É uma pena e uma vergonha a atitude da torcida do Cruzeiro, estamos no século 21 e o respeito pelo ser humano é importante... Eu o admiro porque é um jogador que se entrega em quadra e dá o melhor de si, e como pessoa eu o admiro em dobro. Sinto muito por a torcida do Cruzeiro ter a cabeça tão fechada, é uma pena. Esparamos que isso não se repita."

Ramirez concluiu ainda, em novo post: "Estas atitudes feias, nunca devem acontecer sem ter consequências. Espero que se faça algo a respeito, pessoas assim não deveriam entrar nos ginásiso de vôlei. O esporte é um espetáculo para ser apreciado e não para gritar em público o que frente a frente não é capaz de se dizer. Repito, espero que nunca mais se repita..."

Daymi Ramirez, por Facebook. (ao dono deste blog)


O VÔLEI FÃMINIO repudia qualquer tipo de preconceito e lamenta por esse fato dentro das quadras de voleibol. Além é claro, de enaltecer às atletas que o apoiam. Parabéns meninas, felicitaciones chicas!

domingo, 3 de abril de 2011

Que trem danado sô!

Bloqueio foi principal arma do time paulista na vitória que
as classificou para as semi-finais.
O Minas tentou, mas ainda não foi dessa vez. Por 3 sets a 0, o Pinheiros fez 2x1 na série e eliminou o último dos times mineiros ainda vivo na competição. O Pinheiros estudou bem e soube marcar as principais jogadas das adversárias. Uma grande atuação das paulistas, com pequenas falhas. É nítida a principal arma do Pinheiros: as ponteiras. O time depende delas pra jogar bem, se uma joga mal, o time não rende. Ju Costa iniciou muito mal. Bom trabalho do time mineiro, que percebeu como aniquilar uma das principais jogadoras adversárias. Mas elas são truqueiras, tem arte-manhas! Bloqueios explorados, velocidade. Grande atuação de Soninha, inclusive no bloqueio e merecidamente VivaVôlei. O trabalho do bloqueio deve ser enaltecido, todas as jogadoras do Pinheiros trabalharam bem, amortecendo, parando o ataque adversário. Suelen não teve grande atuação. Alguns erros de passe ilustraram isso. Sem destaques individuais, o Pinheiros fez seu melhor, jogou como grupo. Assim, é difícil vencê-las.

Em 5º Lugar, Usiminas/Minas 

Herrera não conseguiu se livrar de marcação intensa
do Pinheiros
Toda batalha tem um vitorioso e um derrotado, infelizmente. Dessa vez foi a equipe do Minas. Composta por grandes jogadoras sim, mas isso não foi suficiente para vencer o Pinheiros. Totalmente marcadas, as principais atacantes do Minas não tiveram grande atuação. Herrera e Fawcett marcaram apenas 8 e 7 pontos respectivamente. Herrera é a típica cubana, ataca na pancada. Não sabe largar nem usar mãos de fora com eficiência. E o bloqueio do Pinheiros ficava lá, paradinho esperando a pancada. Então, as levantadoras perceberam por onde era o jogo: meio! Renata e Natasha mais uma vez se destacaram pelo time mineiro e foram as maiores pontuadoras de sua equipe. Renata surpreendeu mesmo! Veloz, encarava bloqueio constantemente e virava. Já Natasha, parecia ter sua china decorada pelo time mineiro. E não é pra menos! Com a má atuação das ponteiras, ela era a bola de segurança na rede de 2. O que não tirou a eficiência da maior bloqueadora da partida com 5 pontos. Michelle, com respeito à ela, é o ponto fraco do time no ataque. Não é jogadora de definição, o Pinheiros soube disso. Quanto às levantadoras, no primeiro set, Claudinha foi chicotiada pela recepção fraca do Minas. Mas no segundo, ela simplesmente não esteve bem. E Jarbas demorou muito para substituí-la! Camila entrou bem, naquele momento e deu velocidade ao jogo. Mas o Pinheiros já tinha aberto 4 pontos e não conseguiu buscar. No terceiro, o Minas parecia abatido! A entrada de Silvana não surtiu efeito algum no ataque. Bolas pra fora, bloqueada, defendida. Mas ela foi bem na recepção e o técnico optou por deixá-la em quadra. Aí eu pergunto: por que não Ingrid? Virou quando acionada, recepcionou bem, por que não deixá-la em quadra no lugar de Michelle? Jarbas vacilou, ela entrou bem quando solicitada. E foi justamente nesse 3º set, com um Minas entregue, que ela veio do banco mostrando garra. E vejam, que surpreendente, o Minas se aproximou no placar com a entrada de uma pequenina, a líbero Sophia. Ela forçou o saque, pontuou e fez uma defesa belíssima, era tudo que o Minas precisava, de atitude. Mas era tarde demais! E o Pinheiros fez por merecer, a vaga na semi-final. Mas parabéns ao Minas, que resistiu, que lutou, que conseguiu os três jogos, simplesmente não deu. Parabéns a esse clube que já revelou talentos como Fabiana, que investiu em jogadoras como Sheilla , Thaisa, Ana Tiemi e Joycinha, parabéns à Usiminas por apoiar essa grande equipe, parabéns ao Minas Tênis Clube pela sua importância no vôlei nacional. Até ano que vem Minas, não pode haver Superliga sem vocês...

Pinheiros 3 x 0 Minas (25x15, 25x22, 25x22)
Maiores Pontuadoras: Soninha (12) o Pinheiros e Renata (12) do Minas
Troféu VivaVôlei: Soninha, ponteira do Pinheiros

sábado, 2 de abril de 2011

O tic-tac da decisão

Liderado por Joycinha, Vôlei Futuro
conquista vaga inédita à semi-final
Macaé e Vôlei Futuro levaram 2 horas e 26 minutos de jogo EM ANDAMENTO para travar a 2ª partida das quartas de final. Não me recordo em ter visto um set com 45 minutos nessa Superliga, principalmente feminina. E foi assim que o Vôlei Futuro venceu o Macaé. Agora sim, não foi fácil para o time paulista! As japonesas da nossa Superliga estavam lá, incríveis! O jogo começou relativamente calmo, Ana Cristina foi distribuindo em paz. Mas de repente... O saque começou a funcionar. As ponteiras do time de Araçatuba não se acertavam na recepção, tomavam alguns bloqueios, atacavam pra fora. Ana Cristina pegou um banquinho, pensou e decidiu: vou dar bola pra minha atacante mais eficiente! Se você analisar essa situação, ela mereceu o VivaVôlei. Se as bolas repetitivas pela entrada contarem pontos, ele seria da oposta do time, que fez por merecer. Que evolução de Joycinha nessa temporada! O jogo aperta, é bola pra ela e invariavelmente, ela vira. Foram 23 pontos da oposta, 20 de ataque. 2 bolas pra fora, 2 ataques bloqueados, Joyce vive um bom momento e é a principal arma do time do Vôlei Futuro. Não muito atrás, vem potência, Tandara e logo depois todo o brilhantismo de Paula Pequeno. Arrisco-me a dizer que essa é uma das melhores duplas de ataque da Superliga em si, mas quando o assunto é recepção... O saque de Macaé foi atrevido, "machucou" as ponteiras e Sykora também não teve uma noite muito inspirada para que assumisse maior parte da quadra. Andressa teve participações importantes, bloqueios providenciais. Um tiro no escuro de William, uma jovem, sem bagagem, trazida de Belo Horizonte se destacando em momentos importantes de um jogo decisivo. Deu certo! Fabiana marcou 15 pontos. Seria estranho pra uma central, mas mais estranho ainda, seria dizer que é estranho para Fabiana. Daqui pra frente, O Vôlei Futuro vai ter que ser rígido com seu passe. Vem boas sacadoras por aí...

Em 6º lugar, Macaé

Mari Paraíba foi a maior pontuadora
de Macaé nos dois confrontos das
quartas de final
Time GUERREIRO, time lutador, encardido, grande defensor! Macaé é sem dúvidas o maior orgulho dessa temporada, pouco investimento e grandes resultados. Ele se foi, mas deixou o nome de guerreiro em sua sexta colocação. Verdade seja dita, não seria surpresa vê-las na semi-final. Mas pegaram um Vôlei Futuro embalado, definindo e encerraram sua participação. Alexandre Ferrante falou bem "elas não abaixaram a cabeça". Macaé naão se entregou, respirou até o último segundo, defendeu o que pôde. Se me permitem uma comparação, a mais alta dentre as titulares de Macaé é a central Fernanda Ísis, com 1,83m. A mesma altura da levantadora Fabíola do Pinheiros. Os 1,75m de Gabriela, nem se comparam aos 1,85 do ponto mais "frágil" do bloqueio do Unilever, a carioca Dani Lins. Aí vocês podem se perguntar, um time tão baixo, ter jogado tão bem contra times grandes? Volume de jogo! Sempre tem uma jogadora, pequenininha, ágil, esperta no fundo de quadra esperando a pancada. Pequenas sim, não más atacantes! É o caso do destaque de Macaé, a ponteira Mari Paraíba, com 1,80m, 12 pontos na última partida da equipe. Braço pesado, velocidade, alterna magníficas e horrendas bolas. Cresceu, no ataque e principalmente na recepção. No primeiro jogo Monique havia marcado 3 pontos. No segundo foram 12! Fernanda Ísis também se destacou, deu 3 tocos nas paulistas e trabalhou em belas chutadas, veloz! Quem não conhecia, sabe agora que Marcelinha, líbero experiente é também grande na função das pequeninas. A estrela fica mesmo com Gabi e seus 1,75m. No meio da temporada veio como um chute para a titularidade. O time se encontrou e de lá ela não saiu. Jovem, baixa, do braço pesado, brilhante! Peça-chave para derrubar os gigantes, deu seu nome na temporada. E é só! Um time aguerrido deixa a Superliga e deixa também sua marca na Superliga. As "japonesas" da Superliga...  

Macaé 1 x 3 Vôlei Futuro
Maiores Pontuadoras: Joycinha (23) e Tandara (16) do Vôlei Futuro
Troféu VivaVôlei: Ana Cristina, levantadora do Vôlei Futuro

Uma BANANA para o Praia!

Atuais campeãs se impusaram contra o Praia Clube
O time paulista mais uma vez não teve muitos problemas, mas se coçou mais do que da última vez. Camila Brait, a meu ver, é a melhor jogadora atualmente de Osasco. As demais, passam por momentos de inconstância. O retorno de Jaqueline é bom para Osasco. Teoricamente. A volta dela às quadras não quer dizer que seus ataques continuarão potentes, suas recepções perfeitas e lindas defesas ocorrerão. Mas tendo em vista as atuações de Thaís contra os grandes, Luizomar fez bem em voltar com Jaque. Mas o VivaVôlei que ela levou, foi mais sobre uma questão de estímulo do que técnica. O saque de Thaisa incomodou o Praia na hora decisiva e a central também marcou 4 pontos de bloqueio. Eu daria o VivaVôlei a ela, apesar de não ter feito uma grande partida. Se são os árbitros que decidem, fica bem explicado rs! Osasco levou 2 cartões amarelos, se lembram? Um pra Thaísa e um pra Carol. Natália levou alguns belos tocos e ficou devendo no quesito ataque. Mas sabemos o poder dos braços dela... Osasco vai ter que convencer mais, jogar mais se quiser chegar a uma final. Na semi-final, ninguém se assusta com "superioridade técnica"...


Em 7º lugar, Praia Clube

Pela segunda vez consecutiva, Osasco
eliminou o Praia Clube da Superliga
Para quem esperava alguma reação da equipe do Praia Clube, veio a decepção: um 3x0!  Mas o Praia jogou melhor, chegou a abrir 6 pontos e então... amarelou! Essa é a realidade! Osasco é sim superior tecnicamente ao Praia, mas não venceu por se impor, venceu pela submissão adversária. Patético, mas quando se aproximava o fim do set, o time simplesmente caía. E foi coincidentemente no saque de Natália, em que Osasco assumiu às parciais, tanto no primeiro quanto no segundo sets. Um pouco de culpa de Ana Maria, foram 2 ataques para fora da ponteira Sara, mais 1 avião de Nicole, 1 ataque defendido e um bloqueado de Bia e Osasco simplesmente encostou. Perceberam que faltou alguém nos levantamentos? A cubana Daimy Ramirez, melhor atacante da equipe, ela estava virando tudo! Por que não convocá-la pelo meio-fundo? O Praia pagou o preço e repetiu o erro no 2º set. Investir em Nicole foi um erro do técnico Boni. Por que não apostar em Elyara, livrando a cubana da recepção? O Praia fez 2 bons sets, mas no 3º, estava morto em quadra, sem confiança nenhuma. E com uma campanha irregular e um time inconstante, o Praia chegou à 7ª posição. Eu destacaria a central Bia como uma promessa para o futuro. Boa sorte ao Praia Clube e espero vê-las no fim de ano na Superliga!


Praia Clube 0 x 3 Osasco (20x25, 22x25, 13x25) 
Maiores Pontuadoras: Thaisa (11) e Jaqueline (11) do Osasco e Ramirez (11) do Praia Clube
Troféu VivaVôlei: Jaqueline, ponteira 
do Osasco